Archive for dezembro \28\UTC 2007

Cotidiano

dezembro 28, 2007

DIÁLOGOS QUE DEMONSTRAM COMO O SEU MELHOR AMIGO GOSTA DE VOCÊ:

1 – No restaurante universitário seu amigo leva a sua bandeja até o suportezinho, você impressionada com a gentileza diz:

 “Nossa que amigo gentil que eu tenho, obrigada”

Resposta:

“Não, é que eu não confio em ti. Vai que tu derruba tudo…”

2 – Você empolgada descobre que tem uma matéria em comum com seu amigo no próximo semestre:

“Meu que massa, eu também tenho essa matéria! Só que eu não sei em que grupo que eu estou…”

Resposta:

“Eu também não. Só espero que não seja o mesmo que o teu”

3 – Num bate-papo sobre esportes e aparência física você comenta:

“Pois é, quando cheguei em Sevilla emagreci um monte mas agora já devo ter engordado tudo de novo…”

Resposta:

“Sim, percebe-se!”

4 – Numa conversa de MSN você não sabe o significado de algumas palavras em espanhol, até que a última significa “pensar”. Seu amigo diz:

“E pensar tu também não sabe o que, né?”

Você diz:

“Sei, também não sou tão burra.”

Resposta:

“Saber você sabe, só não pratica.”

Por essas e outras é que eu amo os meus amigos mais sinceros haha E esse post é dedicado ao Álvaro, especialista em me dar cortes!

Anúncios

Um Natal atípico…

dezembro 25, 2007

Bom, como vocês podem imaginar, eu estive bem ocupada nesses últimos meses. Tão ocupada que nem tempo para postar algo decente por aqui me sobrou… Não que eu não tive 1h ou 2h livres por uns dias, mas, quando tive, aproveitei para descansar. Muita coisa já aconteceu desde outubro: já conheci gente, me despedi de gente, fui ao cinema algumas vezes, fui fazer snowboard em Sierra Nevada, visitei Granada, fiz provas, prácticas, trabalhos, gravei entrevistas, passei dias de estresse com trabalhos da faculdade, editei muitas notícias, escrevi muitos textos, aprendi muito espanhol e italiano, comi feijoada algumas vezes, dormi a “siesta” no parquinho que tem na frente da facul, fui a uma Jornada de Comunicação e Esporte e servi de tradutora para a apresentação da professora brasileira, preparei minha viagem de fim de ano, fiz planos, passei dias agradabilíssimos (outros detestáveis…) e uffff, hoje já é Natal!!! Quem diria…

 

Esse ano meu Natal está sendo atípico (fato que combina totalmente com a “vida atípica” da “brasileira atípica”, como costuma dizer um amigo meu da faculdade. Aliás, nunca falei dele por aqui eu acho… O nome dele é Álvaro e ele costuma ler meu blog e ver as fofocas que eu faço do mundo espanhol, então, não posso falar mal dele haha Mas, de verdade, ele é daqueles amigos que ficam pra sempre! Parceiro pra tudo, sempre me ajuda, corrige meus textos – apesar de me chamar de ‘terror dos dicionários’, conversa bastante comigo e é uma daquelas pessoas que a gente sempre gosta de ter por perto! Sem contar o fato de ele escrever poesias por SMS quando ouve “Gasolina” depois da balada. Bom, já fiz uma pequena apresentação. Se um dia eu falar dele de novo vocês já sabem que é meu melhor amigo espanhol). Continuando…

 

Hoje, 25 de dezembro, 3h30min da madrugada, aqui estou eu, em Frankfurt (Alemanha), num quarto de hotel escrevendo post para o blog. Nunca imaginei que chegar num hotel pudesse ser tão bom! (Façam um mochilão no inverno europeu para entender o que eu quero dizer hehe) Para quem não sabe, dia 19.12 comecei um pequeno tour pela Europa que terá duração de aproximadamente 20 dias. Frankfurt está sendo minha 3ª parada. Meu primeiro destino foi Bruxelas, na Bélgica. Capital da Europa por merecimento, cidade linda que com certeza vai ficar na minha memória. Amsterdã foi minha segunda parada. Não queria sair de lá e até o último minuto tentei aproveitar o ar daquela cidade cosmopolita e fascinante, de várias faces, que atinge e agrada a todos os gostos.

 

Em outros posts falo um pouco mais sobre as cidades, porque hoje eu quero é falar sobre o Natal. Lembro-me dos meus natais de pequena (alguns nem tão pequena assim…), onde a família toda estava reunida envolta do pinheirinho esperando a hora de abrir os presentes. Antes disso, aquela ceia farta com todo tipo de comida e bebida, todo mundo feliz, falando alto, contagiado pelo espírito natalino (ainda que por só aquele dia…). Lembro-me também de quando vivi na Nova Zelândia e os orientais (japoneses, chineses e coreanos) não sabiam o que se comemorava no dia do Natal. Não, não porque eles são burros, mas porque o Natal para eles simplesmente “é o dia que a gente ganha um cartão e um presente”. O que significa dar presente no dia 25 de dezembro? Nem idéia! Para eles, é só uma coisa que todo mundo faz…

 

Este ano não tive ceia farta (só passei o dia todo comendo no ônibus de Amsterdã até Frankfurt e quando cheguei aqui sai pra ‘jantar’ às 18h no Burger King, sem contar que provei milhares de tipos de chocolates belga e bolachas holandesas. Ah, também comi em deliciosíssimos restaurantes italianos e argentinos em Amsterdã, coisa fina!), não tive pinheirinho (a não ser as árvores de Natal gigantes da Grande Praça de Bruxelas, do Nieuwmarkt em Amsterdã e da praça da Paul Kirche em Frankfurt), não tive família reunida (a não ser centenas de pessoas das ruas nos pontos turísticos onde passei, todas interagindo entre si como se se conhecessem há anos), não tive que abrir presentes (tive que abrir minhas malas a cada chegada em um hostel ou hotel), não tive amigo secreto (fiz amizades muito visíveis e que com certeza renderão ótimos frutos num futuro próximo), não dei cartão de natal pra ninguém (só enviei algumas dúzias de cartões postais para os amigos mundo afora), nem sequer ganhei meu presente de Natal no dia ‘certo’ (comecei a ganhar no dia 19 e vai terminar aí pelo dia 10 de janeiro).

 

Atípico, não? Nessas horas (como agora, aqui na caminha quentinha, ouvindo a televisão italiana Raí Uno – já que eu não entendo nada de alemão – escrevendo o post do meu blog e descansando) é que eu penso qual é o REAL valor do Natal. Confesso que cheguei a pensar que meus amigos dos olhinhos puxados tratavam a data tão friamente porque eles não entendiam o verdadeiro espírito natalino. Mas sabe que eles não estão errados? Descobri que nem eu sei qual é o verdadeiro espírito natalino… Um natal alternativo pode mudar muitos pensamentos e, por sorte, eu tive a oportunidade de comprovar por mim mesma.

 

De qualquer forma, desejo um Feliz Natal a todos!

Agora fico por aqui, preciso dormir…

… e sonhar de que canto do mundo estarei escrevendo no Natal de 2008!!!

 

Para os amigos que não falam português: Merry Xmas! Buon Natale! Feliz Navidad! Nakimasaru Omatoo!