Archive for setembro \30\UTC 2007

Tipo assim…

setembro 30, 2007

Os carros são muito baratos aqui. Para ter uma idéia, um Peugeot 308, 0km custa 15mil euros. Um Citroën C3, 0km, 9mil euros. A cotação de hoje gira em torno dos R$2,65. Quando cheguei, achei que ia realizar meu sonho de ter um C3, mas até onde vão minhas informações, dirigir aqui só com 21 anos.

  

Os eletrônicos também são baratississississississimos. Fico louca cada vez que entro na Fnac (viva meu cartão da Fnac feito há 2 anos!), no Carrefour, no El Corte Inglês e em outras lojinhas básicas. Um notebook bom (Processador Intel Corel Duo, 2GB de ram, HD de 160GB, cam embutida, wireless, gravador de cd e dvd e o escambau) custa (na promoção) 599 euros. Os mais caros chegam a 1500 euros, mas aí se paga a marca e mais todas as frescurinhas desnecessárias para simples estudantes. Um Sony Vayo com as configurações citadas anteriormente custa 999 euros. Os mais caros mesmo são Toshiba e HP. Pode-se dizer que a Fnac é uma feira da Apple, mas ainda não tive tempo de olhar os preços.

Falando em Apple, um Ipod Nano Classic de 80GB custa 139 euros. Os shuffle custam 79 euros e os vídeo (também 80GB) custam em média 200 euros. Eu quero um Ipod, poxa vida. Quero também uma máquina digital, um notebook, uma prancha nova (tive que deixar a minha no Brasil), talvez uma filmadora daquelas pequenininhas (custam em média 300 euros) e acho que só. Contento-me com pouco (cof cof). Pena que antes de comprar tudo isso eu preciso arrumar um emprego.

 

Aqui perto de casa tem milhares de cafés, pubs e restaurantes, mas tenho que analisá-los antes de dar a cara pra bater. Primeiro recorrerei a universidade e tentarei arruma algo por lá. Falando em pubs, bem embaixo do meu quarto tem a porta de um. Só para sacar o nível, tem um aviso na porta do bar “proibido arremessar copos na rua”. Falando em copos, os espanhóis bebem muito, credo. Até onde vi agora são piores que os brasileiros (sem ofensas haha). Também são tão saidinhos quanto, até mais.

Aqui em Sevilla (não sei quanto ao resto da Espanha) tudo abre as 9h da manhã e fecha as 22h. Eita povinho folgado! Na verdade, amanhece somente as 8h e o sol mesmo aparece por volta das 9h. Em compensação, anoitece as 20h30min/21h. Nem os locutórios abrem até mais tarde, o melhor de todos ainda fecha às 23h. Que coisa, não. Estamos no outono mas as tardes são muito quentes, Jesus!!! Não é a toa que em julho fez 50°C aqui (sim, cinqüenta).

  

Esses foram só alguns detalhes que estavam passando na minha cabeça agora enquanto espero o almoço ficar pronto (vai ter strogonoff de frango!). Já que não sei cozinhar, minha contribuição é sempre lavar a louça e arrumar a mesa (me guuuuuuusta!). Aqui se almoça por volta das 14h30/15h. Quando se passa as 16h pelos restaurantes, ainda há muita gente saboreando paellas, pastas, frutos do mar e bebendo um bom vinho, é meio esquisito. O bom é que assim parece que eu to comendo menos. Acho que vai ser aqui mesmo que vou perder meus 6kg extras (haha).

  

Por hoje é só!

  Beijos a todos  

Anúncios

setembro 30, 2007

ESCREVI O POST NA MADRUGADA DE SÁBADO PARA DOMINGO, MAS ESTOU POSTANDO HOJE, DOMINGO.

  Finalmente, tempo para escrever! Olha que esse post vai ser longo…Vamos por partes, since the veeeeeeeery beginning.

 

Antes de tudo, um breve e verdadeiro agradecimento a todos que foram na minha festa de despedida. Quero dizer que fiquei MUITO feliz de ter visto todos e mais feliz ainda por ver o pessoal se deslocando de Curitiba, Blumenau e Florianópolis (Itajaí e Meia Praia também, vai) para BC, só para me dar um tchauzinho. Sério, vocês todos são muito importantes para mim, cada um a sua maneira e por um motivo peculiar. Foi lindo! Rever um pessoal que estava morrendo de saudades e outros que vejo todos os dias e que fazem toda a diferença na minha vida. Desculpem a demora, mas nem foto no fotolog eu não consegui postar ainda. Há dois álbuns: http://nanezokaa.multiply.com e o outro é o Flickr do Joel que eu to sem o endereço aqui porque to off-line (provavelmente quando ele ler esse post, vai deixar o link no comentário). Aliás, obrigada ao Joel, a Nane e ao Antônio que levaram máquina para tirar as fotos! Ahhh, como poderia esquecer, obrigada pelos presentes, cartas, cartões, CD’s, fotos e todas as lembrancinhas que vocês me deram. Veio tudo comigo! Mas gente, não era meu aniversário, não! Além disso, claro, guardei cada abraço, beijo e palavras de carinho daquela noite ‘quase-perfeita’ (sim, houve alguns mini incômodos). Enfim, OBRIGADA, AMO!

Agora, vamos aos fatos…

 

Posso dizer que a viagem de vinda à Espanha foi a mais estressante que já fiz na vida. Na verdade ela começou como um mar-de-rosas: minhas blaster amigas me levando ao aeroporto (Karis, Re, Cami, Tai: AMO). Aí, Raphinha me liga (adoro mais que chocolate!). Ao mesmo tempo que fiquei mega feliz em dar mais um tchau antes de deixar o solo catarinense, já comecei a ficar nostálgica. Entro na sala de embarque, o vôo atrasa em pouco mais de meia hora. Resolvo ler a carta da Tai “um pouco” antes do combinado (desculpa, sou curiosa…); pra que, né? Desabei a chorar tudo que não chorei na festa de despedida.

  

Chego em São Paulo. Pega mala, vai pra Guarulhos (sim, tive que ir a Congonhas antes), despacha mala de novo (para, dessa vez, pegar só em Sevilla). Detalhe, ao todo, tínhamos que cuidar de 6 malas GRANDES mais 5 bagagens de mão, sendo que uma delas é minha “pequena” raqueteira (mulheres…). Entra na sala de embarque, procura comida, faz amizade, vai olhar o duty free (juro que faço a limpa na volta). Tudo isso em MUITO pouco tempo (pelo menos pareceu, pois sempre dá tempo de eu olhar todas as lojas e ainda dormir um pouquinho…). De repente, vem a tia desesperada: “Gaaaaaaabi, Paaaaaati, já tão na última chamada, vocês não tem noção do tempo, não?”. Últimas a entrar no vôo, lá estávamos nós (não deu nem tempo de comprarmos nossa pacote gigante de Toblerone).

Posso dizer também que o avião da Ibéria é o pior que já peguei na vida. Muito grande, mas muito ruim. Se aquelas bancos reclinavam 120º, era muito. Ainda assim consegui tirar uns cochilinhos… Para minha salvação, tinha o DVD do Ben Harper que a Tai me deu pra eu assistir no laptop (será que eu quase tive um treco quando abri aquele envelope?). Uns 10 minutos após ouvir e assistir a melhor versão de Sexual Healing EVER, a bateria acabou. Droga! Só me restou ouvir aquelas rádios mais ou menos e dar umas olhadinhas no Ocean’s Thirteen. Nove horas e cinqüenta e cinco minutos depois, após não conseguir dormir, não terminar de ver meu dvd, comer uma comida ruinzinha que dói (sério, Ibéria nunca mais!), vejo AQUELA lua: cheia e amarela. Coisa de filme, sabe? (e eu sem uma digital para registrar aquele momento perfeito). Estou chegando no aeroporto de Madrid. Em menos de uma hora saía minha conexão para Sevilla (coisa de louco, né). Tia e Pati saem na frente pela porta da direita, Gabi vai atrás, pela porta da esquerda. As duas esperam Gabi no fim do corredor da porta direita, sem saber que havia outro. Já que não a estavam esperando no fim do corredor (da esquerda), Gabi segue reto achando que as duas a esperam na fila da imigração (Gabi também não viu a outra porta). Gabi chega e não há ninguém. Sem lenço, nem documentos, ela espera até que alguém apareça. Em 5 minutos, Pati aparece “Gabi, onde tu tinha se metido?”. Gabriela leva bronca por atrasar as duas que a procuraram por 15 minutos (Gabriela tem 10 anos, nunca pegou um avião na vida, não sabe o caminho da imigração – que por sinal, é o único –, tem que ser levada pela mãozinha e ser obrigada a saber que tem duas portas e que elas saíram pela da direita, sabe? Detalhe, havia umas sete ou oito pessoas entre as duas e Gabi na saída do avião; e Gabi definitivamente não enxerga de longe). Passando pela imigração MUITO facilmente (menos de 3 minutos no balcão), as bonitas correm para pegar a conexão que saía em 20 minutos. Detalhe, o aeroporto de Madrid é uma cidade, o maior que já estive até hoje. Só para ter uma noção, tem que pegar um metrozinho para ir de portão em portão…

Chegando na fila da conexão, apresentam-se as passagens: “Isso não é o ticket, senhoritas, isso é o bilhete”. Para, né? Sem lembrar que os tickets estavam em um envelope, as três correm para o balcão da companhia. Gabriela comenta “Nunca vi disso, sair do aeroporto para pegar conexão, não existe, tem algo errado.”, “Ta vendo agora, então” – recebe como resposta. Tá, né. Chegando no balcão da companhia, PAAAAAAAAAAAU, os tickets estavam em um envelope que recebemos beeeeem no início da viagem. Óbvio que aquela mulher não poderia estar certa… Mas aí era tarde, perdemos a conexão que chegaria as 9 e poco da manhã em Sevilla. A próxima? Só as 11h. Tudo bem, lá fomos nós. Depois de o vôo mudar de portão algumas vezes e a gente ficar feito barata tonta naquele aeroporto gigante, M43 (sim, ÊME quarenta e três), foi o gate fixado. Lá fomos nós para Sevilla…

  

Chegando em Sevilla, vamos pegar as malas. Uma, duas, três, quatro, cinco… cinco… cinco… cinco… cinco… cinco… cadê a sexta? “Foi enviada em outro avião, está chegando na próxima conexão de Sevilla, às 13h30min”. Tinha que ser a minha mala, claro. Nos toca ficar 1h30min esperando minha linda malinha chegar. Lá está ela.

Táxi para 6 malas, 5 bagagens de mão e 3 pessoas? Não existe. Topic, Sprinter, Kombi? Muito menos… Vamos com 2 taxis, então. Reservamos o hostal quando chegamos no aeroporto mesmo, era tão no centro, que nem os taxistas conseguiram achá-lo. Depois de achá-lo, rolos e mais rolos porque a rua de entrada era contra-mão. Como levar as malas todas para lá? O querido taxista deu um jeito, quebrou as novas e conseguiu destruir um pouco mais as velhas. Comentei que o zíper de uma das malas estourou durante um vôo e todas as roupas e a mala vieram empacotadas num saco plástico da companhia? Bem básico… Tudo pronto na porta do hostal, vou a recepção. Como subir a malarada toda em 4 lances de escada só para chegar na recepção? (São proibidos elevadores nos prédios do centro histórico da cidade). No way, lá vamos nós catar algum hotel mesmo. Um homem nos vê meio desesperadas e nos indica algumas pensões ali por perto. Lá fomos nós procurar lugar. “Cheio”, “Ocupado para hoje”, “Não tem lugar”, “Só para semana que vem”… até que na melhor e mais nova pensão das vielinhas ali do centro havia um quarto triplo, ALELUIA! Fomos para lá.

  

Começa a caça por apartamentos: imobiliárias, jornais (da-lhe Cambalache!), murais de universidade, sites, serviço de atendimento aos estudantes da universidade, etc, etc, etc. TODOS alugados (e os que não estavam, custavam algumas centenas de euros, pelas quais não temos condições de pagar). O desespero começa a bater. Passa quarta, passa quinta, sexta de manhã, NADA. Simplesmente não haviam apartamentos disponíveis em Sevilla. Nem espaço no hostal! A mulher esqueceu de nos falar que só havia espaço para nós até sexta. Mais um pepino! Felizmente, havia uma pensão livre do lado. Poderíamos deixar toda a bagagem em uma salinha do hostal que estávamos e simplesmente dormir na outra pensão. Isso até domingo, porque aí teriam que ir para o Albergue de Jovens em um bairro distante (e levar toooooooooooda a bagagem junto).  Os dias estavam passando, o dinheiro indo naquelas pensões (que não são NADA baratas), o desespero batendo e nada de apartamentos.

Pati e Gabi resolvem passar na universidade pedir informação sobre a matrícula. Na saída da sala de atendimento aos alunos intercambistas, Gabi começa a ler o mural novamente em uma busca frenética por alguém querendo compartilhar “un piso”. Após uns 5 minutos, duas meninas baixinhas puxam papo com Gabi e Pati: “Estão procurando apartamento?”, “Sim, mas está difícil, tudo está alugado”, “Sim, estamos ficando desesperadas, já pusemos este anúncio aqui…”. Gabi e Pati ainda não haviam lido aquele anúncio e, até aquele momento, tinham entendido que as chicas também estavam procurando apartamento (elas falavam um pouco rápido demais). Papo vai, papo vem, as italianinhas explicam que já tem um apartamento, mas que só poderá ser alugado se elas encontrarem com quem dividir, caso contrário, será vendido. Seria piada? Pegadinha? Sorte? As chicas nos convidaram para ver o apartamento: Pati e Gabi quase tem um treco não acreditando na própria sorte. Um apartamento lindo, 3 quartos, 2 banheiros (com banheira, huuuuuum), 2 salas, totalmente mobiliado, cozinha equipada, terraço enorme, 1 por andar, EM FRENTE A CATEDRAL (simplesmente um dos lugares mais famosos da cidade, BEM no miolo do centro, perto de tudo). Ligamos correndo para a Tia vir conhecer o ap enquanto as chicas ligavam para o dono (um delegado velhinho que mora há alguns km de Sevilla, numa casa que fica num terreno de 2000m², com piscina e afins…). Não podíamos acreditar, era bom demais para ser verdade. Quando conhecemos Jesuz (o dono), ele deixou claro “Esse apartamento vale 100.000.000 de pesetas (alguns milhares de Euros), vou alugar porque gostei de vocês e porque as meninas já tinham me pedido por ele. Não vou vender até vocês irem embora, prometo”. Acertamos tudo, na sexta a noite estávamos dormindo em “nossas” camas. As italianas vieram a noite. A propósito, seus nomes são Antonella e Alejandra, 23 e 24 anos, respectivamente. Estudam Filologia hispânica e italiana, são professoras, tradutoras e intérpretes. Aliás, já acertei minhas aulas particulares de italiano. Até 2010 serei poliglota!

  Hoje (sábado), levantamos cedo para arrumar toda a casa e limpar tudo. Ganhamos uma super macarronada italiana no almoço feita especialmente por nativas (elas moram perto de Nápoles e Capri, mas esqueci o nome da cidade). Pela primeira vez, tive tempo de entrar na Internet, depois de toda essa correria. Semana que vem acho que nosso adsl será instalado aqui em casa. Até lá eu escrevo os posts no laptop e levo no locutório para postar… Não liguem a falta de noticias, no começo é tudo muito corrido!

Agora, falando um pouco da cidade… Sevilla é simplesmente maravilhosa. Tem um ar daqueles povoadinhos de filmes de camponeses, mas é enorme, cheia de estudantes, turistas, imigrantes e afins. Carros, bicicletas, pedestres, charretes, motos, metros e cavalos andam todos pelas mesmas ruas. Os motoristas daqui são MUITO barbeiros e AMAM uma buzina. Buzinam por QUALQUER coisa. Ambulâncias estão em atividades a toda hora, é fácil ver e ouvir 2 ou 3 por dia indo acudir alguma emergência. Os Starbucks superam os Mc Donalds, Burger Kings e Pizzas Hut. Por enquanto está 6 x 2 x 1 x 2. Só para ter uma idéia, nos moramos perto de 3 Starbucks. Do lado de 2 e muito perto de 1. Bom pra mim! (ou não). Nossa universidade fica na Isla de La Cartuja, é em Sevilla, mas do outro lado do rio Guadalquivir. Vou lá amanhã (domingo), conhecer meu campus, antes de ir pra aula na segunda. Creio que fique a 25min de ônibus do centro… Talvez menos. É difícil descrever Sevilla, só quem conhece sabe do que estou falando. A diferença horária é de 5 horas, estou na frente de vocês! Agora são 2:58am e eu creio que tenha que dormir se quiser ficar em pé amanhã. Acabei me empolgando com a escrita… faltou contar muitas coisas e fazer vários comentários sobre a cidade, mas isso eu faço ao longo da semana. Já tenho celular, aliás, varias pessoas já receberam mensagens minhas. Infelizmente não estou recebendo as de vocês. Certifiquem-se de que estão mandando para “+34………”. Se for apenas em “responder” ou digitar “0034…..” é provável que não venha. Mesmo assim, vou segunda na Vodafone (mesma operadora que usei na NZ e Oz) perguntar o que pode estar acontecendo.

  

Vou ficando por aqui! Se você leu tudo isso, parabéns, você é guerreiro!

  

Quando organizar meu quarto com meu mural de fotos do Brasil e comprar uma máquina digital, posto tudo para vocês verem. Estou amando e estou muito feliz. Rezem para que tudo dê certo na universidade também! Desculpem a demora em mandar notícias, mas a correria foi grande. Meu endereço para cartas:

  Gabriela Azevedo ForlinCalle Real de la Carreteria, 06 – 2ª planta, Centro

41001 – Sevilla – SE – España

  

Meu telefone celular:

  

34 – 697469734

  

Meu telefone fixo:

  Não tenho

 Meu MSN, meu e-mail, meu fotolog e meu orkut: 

Vocês já sabem!

  

HASTA PRONTO CHICOOOOOOOOOOS!!!

  

(Desculpem os erros ortográfcos, a variação de tempo verbal, de pessoa e afins. Definitivamente não estou afim de ser lingüisticamente correta agora.)

ESTOU VIVA!

setembro 29, 2007

E sem internet! Hoje pela primeira vez consegui ir num locutorio (leia-se lan house..). Hoje a noite vou escrever o post no notebook e ir novamente em algum lugar postar (ainda nao tenho internet em casa).

Aguardem!!!

Outra maneira de acompanhar minha saga

setembro 7, 2007

Pois é, né. Esse blog ficou abandonadinho no último mês, enquanto eu tava a mil por hora correndo atrás da máquina…

Então, tá vendo aquele deseinho ali do lado escrito “FOTOLOG”? Sim, é meu “àlbum” de fotos e não deixa de ser uma espécie de diário também. Bom, o negócio é que queria avisar a quem visita esse blog, pra visitar o fotolog também. Lá postarei fotos diariamente (não, não estou mentindo. É, talvez passe 1 ou 2 dias sem atualizar…) e vocês poderão acompanhar minhas aventurinhas através de imagens (que, convenhamos, pode ser muito interessante…).

 Bem, fico aqui por hoje. Até porque, estou atrasada pra me arrumar… Em 18 dias novidades é o que não vai faltar por aqui hehe